sábado, 29 de agosto de 2009

Sistema Ósseo

O Esqueleto.

Habitualmente o termo esqueleto é erroneamente conceituado como um conjunto de ossos, esse conceito é errado pois esqueleto, não significa necessariamente um conjunto de ossos. Vários seres vivos invertebrados tem o seu esqueleto de proteção que, não são formados por ossos. Basicamente existem dois tipos de esqueleto: endoesqueleto que significa esqueleto interno muito comum em vertebrados como mamíferos, peixes etc. e exoesqueleto que significa esqueleto externo comumente encontrado em invertebrados como antrópodes, crustáceos etc. O esqueleto humano é formado por ossos, más no próprio homem há estruturas que justificam que o conceito "conjunto de ossos", é um conceito indevido. Estruturas como o esqueleto do coração formado por tecido fibroso que serve como um isolante elétrico ou o citoesqueleto, um microesqueleto formado por proteínas tubulares que dão sustentação a nossas células.

funções do esqueleto
O esqueleto humano compreende uma estrutura de sustentação formada por centenas de ossos unidos através de junturas, estes ossos exercem varias funções em nosso corpo como: sustentação (proporcionando a manutenção estável das estruturas corporais), proteção (protegendo órgãos como o cérebro, pulmões e coração entre outros), alavancas (em conjunto com os músculos dão livre e amplo movimento ao corpo), armazenamento de minerais (cerca de 99% do cálcio do corpo está armazenado nos ossos junto com o fósforo entre outros minerais) além de serem órgãos hematopoiéticos (fabricando os componentes sanguíneos) .

Histologia
O osso é uma estrutura formada por tecido conjuntivo envolto a uma matriz extracelular (MEC) ricamente mineralizada, osteoclastos osteócitos e osteoblastos são as células que formam o tecido ósseo. A MEC óssea é um composto extracelular constituído de de duas partes, uma inorgânica basicamente composta de cálcio e fosfato e outra orgânica composta principalmente de fibras de colágeno tipo I. A associação de fibras colágenas e hidróxiapatita (fosfato de cálcio) resulta na dureza e resistência dos ossos.

Substancia óssea
Macroscopicamente o osso é composto por dois tipos de substancia: Substancia Esponjosa onde as lamínulas ósseas se agrupam irregularmente por serem de tamanho e formas diferentes formando uma estrutura similar a uma esponja e Substancia Compacta, nesse tipo as lamínulas agrupam-se face-á-face, formando a porção mais consistente e rígida do osso.

Classificação
Quanto a localização o esqueleto humano pode ser classificado como Esqueleto Axial e Esqueleto Apendicular. O esqueleto axial compreende o eixo do corpo formado pelos ossos do crânio e face, coluna vertebral e caixa torácica (formado pelas costelas e o osso esterno), já o segundo, apendicular é formado pelos ossos que estão apensos ao primeiro (axial) ou seja os membros, superiores e inferiores que estão presos e dependurados ao eixo do corpo. O esqueleto apendicular é preso ao esqueleto axial através de duas "cinturas": Cintura escapular formado pela clavícula e escápula (ou cingulo dos membros superiores) que fixam os membros superiores ao esqueleto axial e a cintura pélvica (ou cingulo dos membros inferiores) formada pelos ossos do quadril (íleo, ísquio e púbis) que unem os membros inferiores também ao esqueleto axial.

Os ossos podem ser classificados quanto a sua forma em ossos longos, curtos, planos e irregulares, os quais são classificados a partir da relação, espessura x Largura x comprimento. A outros ossos especiais classificados devido a algumas peculiaridades como: pneumáticos e sesamoides .
  • Ossos longos:
São ossos cujo o comprimento supera a largura e a espessura, ossos como o Fêmur, Radio, Ulna, Úmero, Tibia, Falanges, Fíbula, Costelas etc. se encaixam perfeitamente nessa classificação. São ossos compreendidos por duas partes: Diáfise: o corpo do osso composto por substancia compacta e a Epífise: suas extremidades, composta principalmente por substancia óssea esponjosa. Epífase e diáfise estão unidas por uma linha cartilaginosa chamada Linha Epifisial. A linha epifisial e a responsável pelo crescimento ósseo em comprimento. Essa linha cartilaginosa durante o inicio da vida do ser humano e ao longo da infância e adolescência doa células para o tecido ósseo, células essas que se depositam neste tecido. esta linha se calcifica no inicio da vida adulta cessando o crescimento dos ossos.
  • Ossos Curtos:
São ossos cujo o comprimento, largura e espessura se equivalem conferindo a eles formas semelhantes a cubos, são exemplos os ossos do carpo e do tarso.
  • Ossos Planos:
Também chamados de laminares ou largos, são ossos com equivalência entre largura e comprimento, que se sobressaem a espessura que é reduzida. São exemplos de ossos planos o esterno, frontal parietais, escapula, íleo entre outros.

  • Ossos Irregulares:
São ossos cuja a sua forma não é associada a nenhuma forma geométrica conhecida, nem se pode fazer uma mensuração exata de suas dimensões pois são bastantes peculiares, temos exemplos de ossos irregulares, as vértebras, o osso temporal, o esfenóide, o maxila, o etimóide entre outros.
  • Ossos pneumáticos:
São ossos encontrados na face de mamíferos, esses ossos possuem camaras internas que contem ar, essas camaras são chamadas de sinus ou seios paranasais. Freqüentemente algumas pessoas sofrem de recorrentes inflamações nesses sinus, o que é chamado de sinusite. Os seios paranasais são recobertos de tecido conjuntivo e a inflamação desse tecido um constante problema na vida de algumas pessoas. A função destes seios é aquecer o ar que entra pela cavidade nasal e passa em direção as pulmões durante a inspirarão (o ar localizado dentro dos sinus ou seios paranasais, faz troca de calor com a região encefálica o que ajuda a estabilizar a temperatura dessa região aquecendo também os próprios seios por essa troca aquecer esse ar de seu interior, a partir dai esses seios aquecidos também fazem troca de calor com o ar que passa pela cavidade nasal, aquecendo-o antes de chegarem aos pulmões), São exemplos de ossos pneumáticos os ossos maxila, temporal, frontal, etmóide e esfenóide. Como vimos alguns osso se classificam em dois grupos ao mesmo tempo como é o caso do osso frontal que é um osso plano más que também é um osso pneumático e os ossos maxila, temporal, esfenóide e etmóide que são ossos irregulares mas que também são pneumáticos.
  • Ossos Sesamoides:
São ossos que se desenvolvem na substancia de tendões ou articulações sendo conhecidos também como ossos intratendíneos e periarticulares. A patéla é um osso sesamoide intratendíneo pois ela se funde no tendão patelar. Ao longo da vida algumas pessoas desenvolvem ossos sesamoides periarticulares em algumas articulações o que pode causar dor e diminuir a amplitude do movimento articular, esses ossos são resultados de migrações de MEC óssea ainda durante a vida intra-uterina, de ossos em formação para essas regiões periarticulares.

Periósteo
Assim como todos os outros tecidos do nosso corpo, os ossos também precisam de nutrientes para não necrosarem, o osso é bastante vascularizado e é revestido por uma membrana chamada periósteo que é o responsável pela nutrição do osso, além de doar células para que ele possa realizar o seu crescimento em espessura e também recuperar traumas. Essa membrana reveste toda a diáfise do osso e parte das epífises exceto nas fases articulares, superfície recoberta por cartilagem hialina que dá um aspecto liso e polido as extremidades ósseas. O periósteo é uma membrana muito vascularizada e bastante resistente, ela possui duas camadas, uma externa (camada fibrilar) composta de tecido conjuntivo denso e fibroblastos e outra interna (camada celular) composta de células osteoprogenitoras que mais tarde irão se diferenciar em osteoblastos compondo e sintetizando tecido ósseo.

Estudo prático
A superfície óssea é bastante irregular, nela podemos observar tubérculos, fossas, forames, condilos, tuberosidades, sulcos, proeminências entre muitas outras irregularidades chamadas acidentes anatômicos. o que se pode entender é que todas essas irregularidades tem funções especificas como:
As fossas geralmente servem para encaixar uma peça óssea à outra. Ex. A cabeça do fêmur se encaixa em uma fossa localizada bem na junção entre os ossos do quadril, chamada de fossa do acetábulo; A cabeça do úmero também se encaixa em uma fossa chamada de fossa glenóide situada na região lateral da escápula: Outro exemplo é a junção temporo-mandibular onde a cabeça da mandíbula se encaixa também em uma fossa situada no osso temporal chamada de fossa mandibular.
Os forames são orifícios que servem para que estruturas como vasos sanguíneos e nervos penetrem ou atravesses um tecido ósseo. Ex. O forame magno que é uma grande abertura situada no osso occipital na base no crânio pelo qual passa a medula espinhal; Ou os varios forames da face como os forames: zigomático-facial, infra e supra orbital, mental e mandibular Etc. orifícios por onde passam nervos e vasos sanguíneos.
As saliências muito encontradas na superfície óssea tem muitas funções como se fixar as fossas de outros ossos ou fixar músculos ao osso através de seus tendões entre outras.
O estudo destes acidentes devem ser aprofundados em aulas práticas em laboratório para uma melhor compreensão do assunto.
by Thiago Ribeiro



Nenhum comentário:

Postar um comentário